REVISTA ITEM - 78

Editorial - RESERVAÇÃO DAS ÁGUAS PARA GARANTIR E AMPLIAR NEGÓCIOS COM BASE NA AGRICULTURA IRRIGADA

Aqui, já se acalentou, por algumas vezes, que a melhor forma de guardar água é fazê-la infiltrar, municiando as nascentes ao longo do ano, para garantir um equilibrado fluxo hídrico. A velocidade de infiltração básica (VIB), determinante para projetos e para manejo da agricultura irrigada, é um princípio que se aplica em todo o universo das bacias hidrográficas. Se esgotada a capacidade de infiltração, há o escorrimento superficial, erosão, enchentes e muitos desastres. Segurar essas águas com sabedoria é um bom desafio.

O Rio Grande do Sul, com quase um terço da área irrigada no País, brindou-nos, na ITEM 77, com o que a ABID tem lutado para repassar a todos os Estados parceiros, ano a ano, motivando-os para um amplo foco nos recursos hídricos, tendo-os como mola mestra para muitas mudanças, com as evoluções requeridas para um bom planejamento da agricultura irrigada. Na leitura deste trabalho, fica evidente o quanto é perverso esse risco do déficit hídrico, seja pelos veranicos no período chuvoso, seja pela dramaticidade do período seco, com perdas de todas as ordens. Os gaúchos fizeram vir à tona, sem eliminar outros riscos, o quanto a sociedade teria de retorno com o amplo fomento da agricultura irrigada, fazendo-a cada vez melhor e maior, tendo o investimento em pequenas barragens como um dos principais motes desse plano, que arquiteta um crescimento de 600 mil hectares de áreas irrigadas.

No limiar dos entendimentos para a parceria da ABID com o Espírito Santo, em 2008, vale registrar que o Dr. Ricardo Santos, quando senador, teve a sensibilidade de pleitear a candidatura de seu Estado, para uma futura parceria com a ABID, e o Dr. César Colnago, atual secretário de estado da Agricultura, Abastecimento, Aqüicultura e Pesca fez dessa candidatura uma realidade. Seu primeiro alerta para a direção da ABID foi para o quadro do norte capixaba, com enorme necessidade de reservação de água, para garantir a prosperidade da agricultura irrigada. Diante dessa pauta, a mobilização da Associação dos Irrigantes do Estado do Espírito Santo (Assipes), das lideranças municipais e da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Seama), ciente e demandadora do melhor ordenamento do setor, fez com que o XVIII Conird viesse ao encontro de uma região que tem feito dos recursos hídricos um diferenciado vetor para seu desenvolvimento.

Nessas interlocuções, aflorou-se o consenso para São Mateus abrigar o XVIII Conird e a região tornar-se palco de muitas inspirações para a programação, com exemplos que podem servir de base para todo o Brasil, ou seja, uma empreitada com muitos envolvimentos e dedicados trabalhos, todos para engrandecer as parcerias, transformando-as em forças intangíveis e de amplo alcance para toda a sociedade.

É justamente diante do permanente desafio de lograr um equilibrado fluxo hídrico ao longo do ano, que fica o convite para uma acurada leitura desta edição da ITEM. Que dela saiam muitas reflexões, para que haja cada vez mais disponibilidade de água nos períodos críticos do ano. O tema barragens, principalmente aquelas em seqüência, feitas de terra, configura-se como a forma mais presente para ampliar a capacidade de irrigação nas pequenas e grandes áreas. Entre os vários assuntos do XVIII Conird, emerge o de maior produtividade da água nos negócios, com base na agricultura irrigada. Retendo a água nas fazendas e nas regiões, quando do período de maior abundância, é que se pode melhor aquilatar o aproveitamento da oferta desse estratégico e vital recurso.

Atividades do norte capixaba como fruticultura, cafeicultura e pastagens irrigadas, entre outras, foram inspiradoras para a composição dessa capa. Um registro que faz da parceria da ABID com o Espírito Santo em 2008, presságios para que o Estado tenha no XVIII Conird mais estímulos para a firme evolução dos agronegócios calcados na agricultura irrigada. As fotos da capa (de autoria de Valmir Zuffo) refletem culturas com sistemas de irrigação por aspersão.



Helvecio Mattana Saturnino
Presidente da Abid