REVISTA ITEM - 71-72

Editorial - CORAGEM DE MUDAR

Sim, passa muitas vezes por aí o estrangulamento com que se defrontam aqueles que desejam a expansão da agricultura irrigada. Para desmistificar as dificuldades e evidenciar o quanto é gratificante conceber, projetar, implantar e desenvolver projetos de irrigação e drenagem, ano a ano, a ABID tem celebrado parcerias com um estado brasileiro e logrado amealhar participações que enriquecem sobremaneira a cartela dos bons exemplos de mudanças. Sejam elas nas interlocuções proporcionadas pelos Conirds, através de minicursos, conferências, seminários, sessões pôsteres, estandes e dias de campo, sejam também em outras atividades ao longo do ano, no exercício das oportunidades que se descortinam com os temas propostos.

Nada mais aliciante, ao celebrar a parceria com o estado de Goiás em 2006, que eleger a agricultura irrigada do Cerrado como tema central para o XVI Conird e diversas outras atividades que ocorrem ao longo do ano. As condições edafoclimáticas do Cerrado são muito convidativas para esse empreendimento e as necessidades de avanços estão a bater nas portas de todos. São mudanças para melhorar os negócios, ganhando em escalas, em rendimentos da mão-de-obra, em área e em capital, perseguindo mecanismos que proporcionem o contrato de bons seguros, conferindo, assim, essa indispensável estabilidade.

Sim, perseguir mudanças, como a de inovar com mutirão em favor do seguro, para que o produtor possa desempenhar seus inúmeros papéis, que vão de guardião dos recursos naturais a garantidor da segurança alimentar e, cada vez mais, em direção da segurança energética, sem que o risco recaia somente em seus ombros.

Diante desse quadro, qual a coragem para fazer da água um diferencial? São questionamentos como esse que, direta ou indiretamente, permeiam as várias atividades da ABID e têm sido motivo de várias reflexões nessa intinerante parceria anual com um dos estados, a exemplo das várias atividades que aconteceram ao longo do ano de 2006 em Goiás, sede do XVI Conird. Dentre elas, merece destaque a mudança da gestão, incorporando possibilidades de suprimento de água e desenvolvimento da irrigação na propriedade. É uma forma de implementar o maior sinergismo possível, para que haja as devidas complementaridades, para a conquista de um empreendimento mais equilibrado. Ver o complexo da pequena ou da grande área a ser explorada, viabilizar represas ou outras formas de suprimento de água, garantir a vazão a jusante e ter disponibilidade de água para ser vetora de um novo tempo com a inserção da irrigação, tudo isso exige coragem para mudar.

Essa coragem de mudar em favor da agricultura irrigada, de avançar com a gestão em toda a teia dos agronegócios, é o grande desafio que permeia entre os diversos níveis de governo e os vários segmentos do setor privado, desembocando na pequena ou grande propriedade ainda de forma muitas vezes precária, carente de instrumentos de gestão e de outros apoios para viabilizar prósperos negócios, que redundem em benefício de todos.

Ao editar mais esse número da revista ITEM e fazer o balanço de mais um Conird, é gratificante observar o amplo leque de competências envolvido nesses propósitos, delineando-se caminhos que vislumbram essas grandes vantagens comparativas do Brasil, alertando-se sempre sobre as oportunidades de explorá-las com sabedoria, fortalecendo estrategicamente o produtor, dando-lhe as devidas condições para alçar essas mudanças.



Helvecio Mattana Saturnino
Presidente da Abid