REVISTA ITEM - 65-66

Editorial - AGRICULTURA IRRIGADA: UM NOVO HORIZONTE PARA O PIAUÍ

A agricultura irrigada, para impulsionar o desenvolvimento do estado do Piauí, permeia esta edição da ITEM. Foram elaboradas entrevistas, tendo como especial destaque o Plano de Ação para o Desenvolvimento Integrado do Vale do Parnaíba (Planap). Buscou-se harmonizar interesses, os mais diversos, entre governo e sociedade civil, perseguindo-se um comprometimento de todos com metas a curto, médio e longo prazos.

Destaque maior é a constatação de que, praticamente, todo o estado do Piauí está inserido nessa bacia hidrográfica, cuja área passou a compor o território de abrangência da Codevasf, desde o ano 2000. O Estado ocupa 98,3% dessa bacia de 330 mil km2 e a formulação do Planap faz-se mediante todo um novo arcabouço, que é o da Política Nacional de Recursos Hídricos.

Ter a água como vetor do desenvolvimento, faz da irrigação, da drenagem e do manejo sustentável das relações solo-água-planta poderosos instrumentos para conservação dos recursos naturais e para geração de riquezas e empregos. Com ampla diversidade edafoclimática, ampliam-se os desafios e as oportunidades, exigindo-se um acurado trabalho voltado para uma logística que priorize investimentos estratégicos, para que se encontre um virtuoso ciclo de retornos socioeconômicos.

É diante desse auspicioso cenário que a ABID celebra a parceria com o governo do Piauí, hospedeiro do XV Conird. Será realizado junto ao Congresso, sob especial demanda do governador Wellington Dias, o Simpósio Internacional de Uso das Águas Subterrâneas na Agricultura Irrigada. Para tanto, conta-se com o concurso da experiência do Banco Mundial, enriquecendo-se o processo dialético em torno da exploração de mais esse manancial hídrico. Há um amplo acervo de estudos sobre esses potenciais e os poços jorrantes a provocarem os formuladores de políticas e planos. A CPRM, sob a égide desse novo planejamento, acaba de inventariar 27 mil poços no Piauí.

Do maior rio nordestino aos diversos açudes construídos pelo Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (Dnocs), as águas superficiais, com suas diversas interligações com as águas subterrâneas e suas áreas de recargas, ensejam as mais variadas provocações, principalmente diante do perverso risco da atividade agrícola, tendose o déficit hídrico como o maior vilão. A sazonalidade das chuvas e os erráticos veranicos inspiram os mais diversos projetos de irrigação, maximizando a utilização dos fatores de produção ao longo do ano e ampliando as garantias de um melhor abastecimento.

Seja com a irrigação em pequenas ou grandes áreas, em perímetros irrigados, seja em arranjos como dos cultivos protegidos, há um amplo acervo de conhecimentos, de competências, de equipamentos de irrigação, de trabalhos de consultoria e de pesquisas já realizadas e em andamento, que precisa aflorar cada vez mais para contribuir para um mundo com mais riquezas e mais eqüidade. Essa é a marca que se pretende indelével, para que, a cada ano, o símbolo dos Conirds paire sobre um Estado brasileiro. O Piauí tem abraçado esses propósitos, com o governo do Estado comprometido com essa importante jornada.



Helvecio Mattana Saturnino
Presidente da Abid