REVISTA ITEM - 60

Editorial - MAIOR SUSTENTABILIDADE DOS AGRONEGÓCIOS

Fortalecer o agronegócio da agricultura irrigada, para gerar mais empregos e promover a reversão dos ciclos de pobreza em ciclos de prosperidade, tendo o Rio São Francisco como artéria principal, traz à baila várias oportunidades a serem exploradas e muitas reflexões, que passaram pelo amplo processo dialético do XIII Conird, em um rico convívio no pólo Juazeiro/Petrolina.

Com a abundância de luminosidade e de recursos de solo, água e biodiversidade, fica patente que o desafio está na capacidade de o homem saber agregar valores ao aproveitamento desses recursos naturais, com produtos que se diferenciem pelo domínio do conhecimento nas cadeias produtivas, por vantagens comparativas e pela logística em tê-los disponíveis para manter e conquistar mercados. No cerne dessa questão está a pergunta: – como ser competitivo e gerar riquezas diante dos crescentes desafios em um mundo globalizado?

Quanto mais houver tecnologias incorporadas nos diversos elos dessas cadeias, como fruto de uma crescente capacitação brasileira, maior será a apropriação nacional de riquezas. Esse é um firme caminho para melhor aquinhoar a sociedade com mais empregos permanentes e melhor qualidade de vida, abrindo-se perspectivas para democratização das decisões e uma justa distribuição do trabalho e das riquezas, ocupando o mercado com mais competência e maior agregação de valores a cada produto.

Não há como abordar esse desenvolvimento sem o foco em uma ampla integração tecnológica, socioeconômica, comercial e ambiental, entre os organismos públicos e privados, envolvendo o setor produtivo, empresas de equipamentos de irrigação, de insumos, de serviços e uma sólida base de formação de recursos humanos.

Assim, merece destaque a matéria sobre a história da implantação e desenvolvimento da pós-graduação no Brasil. Trata-se de um pilar a enriquecer permanentemente a competência de todos esses setores do agronegócio, logrando-se mais soberania nas decisões econômicas, políticas e culturais, respaldando-as com constantes pesquisas, debates e estudos, para que se descortinem trocas mais justas no comércio exterior e no mercado interno. Quanto maior a junção de forças com a pós-graduação, maior a multiplicação de valores e de ganhos em escala no processo científico e tecnológico, abrindo-se mais oportunidades para avanços que vão da ciência básica à aplicação dos conhecimentos às práticas comuns na cadeias produtivas. A Associação Brasileira de Irrigação e Drenagem (ABID) fica cada vez mais enriquecida com as interlocuções em toda essa amplitude.

O domínio tecnológico do agronegócio nos trópicos, calcado nas demandas e oportunidades do mercado, especialmente na região do Semi-Árido brasileiro, que é única no mundo, vislumbra-se como uma grande alternativa de substanciais avanços socioeconômicos. Essas características diferenciadas polarizam o desenvolvimento, abrindo mais chances para novos empreendimentos e inovações, fazendo convergir competências, multiplicando-se justamente o que as boas políticas públicas sempre almejam. Daí aflora a importância dos investimentos estratégicos, perseguindo-se um mais equilibrado desenvolvimento.

Que o trabalho da ABID seja mais um vetor desse nobre propósito! Que a mobilização em torno do XIV Conird e dos eventos internacionais encontre nas fortes tradições gaúchas a necessária força para avançar celeremente nesta importante caminhada.



Helvecio Mattana Saturnino
Presidente da Abid