A CAPA DA ITEM 118-119:

A capa desta edição é uma homenagem da ABID aos 110 anos do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), em 2019, com diversas matérias sobre o histórico e importante trabalho dessa instituição. O Inmet, vinculado ao MAPA, tem sua sede em Brasília e dez Distritos de Meteorologia (Disme), que cobrem todo o Brasil, com regiões administrativas assim designadas: 1° Disme, Manaus: Acre, Amazonas e Roraima; 2° Disme, Belém: Pará, Amapá e Maranhão; 3° Disme, Recife: Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Paraíba e Alagoas; 4° Disme, Salvador: Bahia e Sergipe; 5° Disme, Belo Horizonte: Minas Gerais; 6° Disme, Rio de Janeiro: Espírito Santo e Rio de Janeiro;7° Disme, São Paulo: São Paulo e Mato Grosso do Sul; 8° Disme, Porto Alegre: Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná; 9° Disme, Cuiabá: Mato Grosso e Rondônia; e o 10° Disme, Goiânia: Goiás e Tocantins. (Colaboração da Dra. Andrea M. Ramos, do Inmet, em Brasília).


HÁ MUITO A SER FEITO EM BENEFÍCIO DE TODOS


A cada itinerante parceria anual da ABID, pelo Brasil afora, são muitos os desafios e, ao mesmo tempo, muitos aprendizados. Em 2018, em Campinas, São Paulo, com sinergismos e complementaridades com a FiiB, realizou-se o XXVII Conird. Em uma feira com o concurso de fabricantes e fornecedores de equipamentos, de prestadores de serviços e de supridores de insumos para a agricultura irrigada, bem como da participação da comunidade acadêmica, de produtores e suas organizações, dos setores públicos e privados, pôde-se evidenciar o aparato brasileiro para lograr um forte e consistente desenvolvimento socioeconômico, ao impulsionar políticas em favor da agricultura irrigada.

Na solenidade de abertura desse evento conjunto, tive a oportunidade de exaltar o quanto o estado de São Paulo pode fazer em favor do desenvolvimento da agricultura irrigada paulista e brasileira. Os exemplos dos empreendedorismos, que vão dos cultivos protegidos, passando pela hidroponia, aos das conquistas de grandes áreas irrigadas, com a gestão integrada das bacias hidrográficas, permeiam o Estado. Trata-se de um universo que engloba toda a gama de produtores e as mais diversas organizações, com evidentes mitigações do perverso risco agrícola e de virtuosos efeitos multiplicadores para toda a sociedade.

E é justamente nesse espaço rural que estão os caminhos para perseguirmos a segurança hídrica, alimentar, ambiental, energética e, principalmente, a de bons negócios. Isto trás motivações e comprometimentos para as boas práticas, com melhor recarga dos aquíferos, assoreamento zero com a condução das águas excedentes para represas nas propriedades ou em consórcios, para regularização do fluxo hídrico ao longo do ano e melhor atendimento aos usuários da água. Daí, maior segurança para desenvolver e expandir os empreendimentos em agricultura irrigada. Há muito a ser feito para o Brasil usufruir de suas vantagens comparativas internas e perante o mundo.

Nesta edição, repleta de preciosas informações, o conferencista de abertura desse evento conjunto, o então presidente da Embrapa, cientista Maurício Lopes, com sua invejável experiência nacional e internacional, nos alerta para a necessidade de melhorar nossas narrativas para a sociedade, para rompermos barreiras decorrentes de informações distorcidas, que ganham inadequadas manchetes no Brasil e no mundo, com incalculáveis prejuízos para todos.

A cada ano a ABID procura deixar um significativo registro sobre o estado da arte de algum setor no Estado foco. Assim, nesta edição, há um atualizado diagnóstico da agricultura irrigada por pivôs centrais em São Paulo, que é um instrumento para muitos desdobramentos.

Ao homenagearmos os 110 anos do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), tanto na capa como em diversos pontos desta edição, fica patente o significado de meticulosos registros meteorológicos ao longo desse tempo. São dados históricos para muitos estudos e a formulação das mais diversas políticas. Na agricultura irrigada, além das chuvas, é reservado aos homens equilibrar o fluxo hídrico, com a drenagem, a reservação das águas e a irrigação, o que requer adequados manejos. O Inmet nos brinda com sistemáticos trabalhos de coletas e interpretações de dados, bem como com diversos produtos e ações para atender a toda a sociedade, suprir os formuladores de políticas e fortalecer o planejamento e a gestão, a exemplo dos requeridos pela agricultura irrigada.

Diante do novo governo, nada mais alvissareiro do que constatarmos as movimentações e notícias dos ministros Tereza Cristina, do MAPA, e Gustavo Canuto, do MDR, com vistas ao planejamento e fortalecimento da agricultura irrigada brasileira. Eles estão semeando em um fértil campo, com perspectiva de excelentes resultados, sempre a depender de uma integrada e afinada política para romper muitas barreiras e fazer acontecer virtuosos empreendimentos pelo Brasil afora.

A ABID e o Inovagri estarão reeditando a feliz parceria de 2017, com o Ceará, em uma programação conjunta a ser realizada em Fortaleza, no final de outubro de 2019. Uma importante e oportuna agenda para juntarmos mais e mais esforços em prol dos negócios com base na agricultura irrigada.

Helvecio Mattana Saturnino
Presidente da Abid