A CAPA DA ITEM 108-109:

A foto da capa guarda estreita correlação com o desenvolvimento da agricultura irrigada brasileira. No passado, as filas para comprar feijão invadiam as mídias e abalavam o governo. Com recorrentes importações àquela época, houve um despertar para o fomento à irrigação, tanto do governo federal, como de estados, como São Paulo, que fizeram acontecer o pro-feijão. Hoje, a mídia estampa preços aos consumidores e o governo procura viabilizar importações do produto, com melhores preços e compatível qualidade. Esta foto, fornecida pela Aprofir, mostra a cultura do feijão irrigado em Mato Grosso. Ao ver esse empreendedorismo dos produtores, vêm à baila os desafios para fomentar uma produção que proporcione um negócio mais equilibrado, em benefício de todos. Trata-se de promover políticas em prol da agricultura irrigada, com o pronto aproveitamento do acervo de conhecimentos disponíveis. Há muito a ser feito para garantir uma melhor regularidade no abastecimento de feijão, mas felizmente, os bons exemplos em prática estão pelo Brasil afora, necessitando-se de articulados apoios e soma de conhecimentos para fortalecê-los e multiplicá-los.


UM POTENCIAL DE 10 MILHÕES DE HECTARES PARA A AGRICULTURA IRRIGADA


Esse auspicioso título é derivado de uma das matérias desta edição. Sob a liderança de um dos conselheiros e diretor da ABID, o professor Durval Dourado Neto, da Esalq/USP, e sua equipe, em um trabalho que contempla todo o Brasil, foi evidenciado, em edição anterior da ITEM e em apresentação no XXV Conird, o que pode ser visto em abid.org.br, que o País pode multiplicar por 10 vezes a atual área irrigada, de cerca de 6,2 milhões de ha. Agora, essa equipe, de forma concisa, demonstra que Mato Grosso tem o potencial para irrigar 10 milhões de ha.

Outro ativo membro da ABID, o pesquisador Daniel Pereira Guimarães, juntamente, com sua equipe, em articulados esforços entre Embrapa e a ANA, está dando sequência ao já publicado anteriormente, com um atualizado levantamento de todos os pivôs centrais de Mato Grosso, evidenciando-se o crescimento em curso. Avançar nesses levantamentos e na gestão dos negócios da agricultura irrigada, requer também harmônicos entendimentos com as diversas interfaces inerentes ao setor, para que se explore com sabedoria as excepcionais condições brasileiras. Fazer frente à segurança hídrica, alimentar, energética, do bem estar da sociedade e de prósperos negócios, É uma bandeira que tem impulsionado as itinerantes parcerias anuais da ABID e inspirado pessoas e instituições, de forma espontânea, para que haja integração de esforços e comprometimentos em favor desses propósitos.

Essa força que emana da capacidade multiplicadora da agricultura irrigada precisa permear, cada vez mais, na gestão integrada das bacias hidrográficas. O permanente propósito da ABID de perseguir esse virtuoso ciclo hidrológico, com mais geração de riquezas e empregos, é motivado pelos benefícios proporcionados pela intensificação de atividades em cada área, com a agricultura irrigada.

Dessa forma, ao apresentar matérias e notícias que coadunam com o protagonismo que cada parceria anual enseja, esta edição da ITEM faz refletiz evoluções na parceria ABID-MT, ao longo de 2016. Essas itinerantes parcerias anuais da ABID, sempre atendendo a propostas e iniciativas de uma das Unidades da Federação Brasileira, tem acontecido desde a virada do milênio. Esse trabalho tem sido coroado com a realização do Conird ao final de cada ano.

Em decorrência de uma série de imprevisibilidades, os dirigentes das instituições de Mato Grosso, que propuseram a realização do XXVI Conird, de 21 a 25/11/2016, com pronta concordância da direção da ABID, ao realizarem uma recente reunião em Cuiabá, mantiveram contato conosco, explicaram os intransponíveis impasses para essa realização, como programado. Houve a pronta solidariedade da direção da ABID, para o adiamento do evento, e coroar essa parceria da melhor forma possível, com a marcação de uma nova data, na maior brevidade possível.

Esse comprometimento, diante dos transtornos decorrentes dessa mudança, requer a pronta compreensão de todos, independente da data a ser ajustada. Precisamos de continuados aprendizados e mais cooperações em favor de um persistente trabalho para impulsionar, cada vez mais e melhor, a agricultura irrigada do Brasil. Assim, conforme pactuado quando da proposta desse trabalho pelos parceiros de Mato Grosso, que estão superando os óbices para definir a nova data do XXVI Conird, precisamos coroar mais essa itinerante parceria anual da ABID, como tem sido logrado desde a virada do milênio, contando-se agora com a pujança e o marcante sucesso do empreendedorismo de Mato Grosso nos agronegócios.



Helvecio Mattana Saturnino
Presidente da Abid